SUL-AMERICANO DE 1948 E TORNEIO PARIS DE 1957 – CONQUISTAS PRECURSORAS

Área ÚNICA para a criação de Novos Tópicos. Deverão em até 72 horas, serem liberados ou reprovados.
Avatar do usuário
GilsonVGPR
Júnior
Júnior
Mensagens: 1586
Registrado em: 31 Dez 2015, 12:13
Localização: Por esse mundão adentro.

SUL-AMERICANO DE 1948 E TORNEIO PARIS DE 1957 – CONQUISTAS PRECURSORAS

Mensagem por GilsonVGPR » 29 Mai 2018, 17:24

O Vasco é reconhecidamente um clube que tem a marca do pioneirismo. Entre tantas(os) conquistas/feitos temos:

• Incorporava aos seus quadros jogadores de qualquer origem étnica;
• Venceu o carioca de 1923 em seu ano de estréia;
• Foi o primeiro time da periferia (composto por jogadores de várias origens, como negros, mulatos, portugueses e brancos pobres da classe operária) a incomodar os times mais elitistas da cidade;
• Primeiro clube a se manifestar em defesa de jogadores negros e operários (numa época em que o futebol era praticado em sua maioria por brancos e ricos);
• Foi durante um tempo o único clube do país com um estádio em condições de sediar jogos noturnos;
• Durante a gestão do presidente Getúlio Vargas, o mesmo costumava realizar no Estádio São Januário, então o maior do Rio de Janeiro, seus principais discursos;
• Formou um time que até hoje é lembrado por conta dos números (Expresso da Vitória);
• Com esse time conquistou o 1º título do futebol brasileiro (seja de clube ou seleção) no exterior (Sul-Americano de Clubes Campeões de 1948);
• Foi o 1º time sul-americano a conquistar um torneio mundial que contou com a participação do campeão europeu (Torneio Internacional de Paris de 1957);
• Venceu o carioca de 1958 que ficou conhecido por “Super-Super-Carioca”, tamanha a dificuldade por conta dos adversários, e também o Rio-São Paulo daquele ano (de copa do mundo), sendo Rio e São Paulo os cameponatos mais difíceis da época;
• Foi o 1º carioca a vencer o campeonato brasileiro (Com essa denominação antes da unificação dos títulos);
• Em 1989, com um time chamado de SeleVasco, venceu o campeonato brasileiro de 1989, e nesse ano cedeu alguns jogadores para a seleção brasileira, que venceu a Copa América daquele ano, encerrando um jejum de 40 anos sem esse título;
• Foi campeão da Libertadores no ano do centenário;
• Foi campeão da Mercosul, com uma virada épica, após virar o 1º tempo perdendo por 3x0 e virar pra 4x3, naquela que ficou conhecida como a “Virada do Século”, diria eu a “Virada do Milênio”.

Essas conquistas/feitos podem ser conferidas(os) [link= https://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B ... ama#Início]NESTE LINK[/link].

Quero destacar duas dessas conquistas/feitos, o SUL-AMERICANO DE CLUBES CAMPEÕES DE 1948 (1) E TORNEIO INTERNACIONAL DE PARIS DE 1957 (2) – PRECURSORES DA UEFA CHAMPIONS LEAGUE (1), DA TAÇA LIBERTADORES DA AMÉRICA (1), DA TAÇA INTERCONTINENTAL (2) E DA HEGEMONIA DO BRASIL EM COPAS DO MUNDO (2).
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/ ... ricano.jpg http://pensarvasco.com.br/wp-content/up ... 10x710.png
Não por conta da discussão se o Sul-Americano de 1948 tem o mesmo peso/valor de uma Libertadores, ou se o Torneio Internacional de Paris tem o mesmo peso/valor de um mundial, mas, pelo que essas duas conquistas representam em termos históricos.
Imagem

Avatar do usuário
GilsonVGPR
Júnior
Júnior
Mensagens: 1586
Registrado em: 31 Dez 2015, 12:13
Localização: Por esse mundão adentro.

Re: SUL-AMERICANO DE 1948 E TORNEIO PARIS DE 1957 – CONQUISTAS PRECURSORAS

Mensagem por GilsonVGPR » 05 Jun 2018, 11:21

Campeonato Sul-Americano de Campeões

O Campeonato Sul-Americano de Clubes Campeões foi uma competição internacional de futebol organizada em 1948 pelo clube chileno Colo-Colo[1][2] juntamente com o então presidente da Conmebol, o chileno Luiz Valenzuela.[3] Foi vencida pelo Vasco da Gama. Foi a primeira conquista obtida por um time de futebol brasileiro (clube ou seleção) atuando no exterior. [4] Antes da criação da Copa Libertadores em 1960 (cuja criação foi anunciada em outubro de 1958),[5][6][7][8] o Campeonato Sul-Americano de Campeões foi a única competição de clubes realizada com o objetivo de indicar o campeão sul-americano, segundo informam os jornais da época da competição, que em 1948 trataram o Vasco como campeão sul-americano.[9][10][11] [12][13][14][15][16][17][18][19][20][21][22]

O torneio não foi organizado diretamente pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), que à época não organizava competições de clubes (a primeira tendo sido a Copa Libertadores, iniciada em 1960), portanto a competição de 1948 não consta da lista de competições oficiais da Conmebol, que inclui apenas as competições organizadas diretamente pela mesma.[nota 1][24][25][26] Até maio de 1955 a posição de instituições como FIFA, CONMEBOL e UEFA era organizar diretamente apenas competições de seleções, não de clubes, que deveriam ser organizadas pelos clubes e/ou associações nacionais.[27] No entanto, o Campeonato Sul-Americano de Campeões foi organizado com apoio e participação do então presidente da Conmebol, o chileno Luiz Valenzuela,[3][28][29] e em 1996 foi reconhecido pela Conmebol como o torneio precursor da Copa Libertadores, através de decisão do Comitê Executivo,[30] que é o órgão da Conmebol com competência estatutária para o reconhecimento de competições sul-americanas.[31] Em função de seu título de 1948, o Vasco participou da Supercopa de 1997, competição oficial da Conmebol reservada unicamente aos campeões da Copa Libertadores.[32][33][34][35]

(...)

UEFA

Segundo o historiador chileno Sebastián Salinas, em depoimento à reportagem do GloboEsporte, a competição inspirou a criação não só da Copa Libertadores mas também daCopa dos Campeões da Europa, através dum jornalista francês que cobriu a competição em Santiago e, empolgado com a idéia dum torneio continental de clubes, levou a idéia à Europa. [103] O Campeonato Sul-Americano de Campeões de 1948, coberto por Jacques Ferran, e a Copa Rio de 1951, coberta por Gabriel Hanot, teriam sido as inspirações dos mesmos para impulsionar a criação da Copa dos Campeões da Europa, através do jornal francês L'Equipe, ao que estavam associados estes dois jornalistas.[104] O documento da UEFA sobre a história da Copa dos Campeões da Europa não cita o Campeonato Sul-Americano de Campeões de 1948, porém confirma que Jacques Ferran e Gabriel Hanot, do L'Equipe, foram os idealizadores da competição continental europeia. [105] Em entrevista concedida à reportagem do Globo Esporte de 10/05/2015, Jacques Ferran confirmou que o Campeonato Sul-Americano de Campeões foi a inspiração para a criação da Copa dos Campeões da Europa: "como a Europa, que queria estar à frente do resto do mundo, não era capaz de realizar uma competição nos moldes do Campeonato Sul-Americano? Precisávamos seguir este exemplo.", disse Ferran à reportagem do Globo Esporte.[106]

Fonte: [link]https://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonat ... pe%C3%B5es[/link]
Imagem

Avatar do usuário
GilsonVGPR
Júnior
Júnior
Mensagens: 1586
Registrado em: 31 Dez 2015, 12:13
Localização: Por esse mundão adentro.

Re: SUL-AMERICANO DE 1948 E TORNEIO PARIS DE 1957 – CONQUISTAS PRECURSORAS

Mensagem por GilsonVGPR » 05 Jun 2018, 11:23

Torneio Internacional de Paris de 1957

O Torneio Internacional de Paris de 1957 foi a primeira edição do Torneio Internacional de Paris, torneio intercontinental disputado por equipes de Europa e América do Sul durante o mês de junho. A competição foi organizada pelo Racing Club de Paris.[1] O formato foi o mesmo para todas a edições, sempre disputadas no Parc des Princes, em Paris, na França, e ao longo de seu primeiro período de existência (1957-1966, quando organizado pelo Racing Club de Paris), quase sempre contando com o clube anfitrião, com um grande clube brasileiro de Rio de Janeiro ou São Paulo e com duas outras equipes europeias.

O Vasco da Gama sagrou-se campeão da primeira edição, de forma invicta, ao superar o bicampeão da Copa dos Campeões da UEFA Real Madrid por 4-3 na decisão.
[2][3][4][5][6][7]
A apresentação do Vasco da Gama, na final do torneio perante o Real Madrid, encantou o público e a imprensa francesa[8][9] o prestigiou a si e ao futebol brasileiro perante o público europeu.[10] Os gols foram marcados por Válter,Vavá, Livinho e Sabará. Di Stefano, Mateos e Kopa fizeram para o Real. O Real Madrid era então considerado o melhor time do mundo por ter vencido as duas edições da Copa dos Campeões da UEFA que já haviam ocorrido (1955/1956 e 1956/1957), e continuaria vencendo a Copa dos Campeões da UEFA até a edição de 1959/1960. No dia seguinte ao jogo entre Vasco e Real Madrid, Jacques Ferran escreveu no jornal L'Équipe: "E então, bruscamente o Real desapareceu literalmente. Seriam as camisas de um vermelho pálido ou os calções de um azul triste que enfraqueciam a soberba equipe espanhola? Não; é que, antes, apareceram subitamente do outro lado os corpos maravilhosos, apertados nas camisas brancas com a faixa preta, de onze atletas de futebol, de onze diabos negros que tomaram conta da bola e não a largaram mais. Durante a meia hora seguinte a impressão incrível, prodigiosa, que se teve é que o grande Real Madrid campeão da Europa, o intocável Real vencedor de todas as constelações europeias estava aprendendo a jogar futebol".

O Jornal dos Sports, em coluna de Mário Júlio Rodrigues, chegou a citá-lo uma vez como a conquista de um título mundial de clubes ao Vasco da Gama.[11] A despeito de alguns clubes já terem sido chamados de campeões mundiais antes (por exemplo, o Palmeiras ao vencer a Copa Rio de 1951), a vitória do Vasco no Torneio de Paris de 1957 foi a primeira vitória de um clube sul-americano contra um campeão continental europeu, e a declaração do Jornal dos Sports foi a primeira vez (antes da criação da Copa Intercontinental) que um clube sul-americano foi chamado de campeão mundial por vencer um campeão da Copa dos Campeões da Europa.

Único torneio mundial com um clube campeão europeu antes da criação da Copa Intercontinental


Entre a primeira coroação de um campeão continental europeu, ou seja, o título do Real Madrid na edição inaugural da Copa dos Campeões da Europa (temporada 1955/1956, final realizada em 13/06/1956),[15] e o anúncio da criação da Copa Intercontinental (cuja criação foi anunciada por João Havelange como convidado em reunião da UEFA realizada em 08/10/1958),[16] houve apenas dois torneios mundiais (com times de mais de um continente) com a participação do Real Madrid (que foi campeão europeu em todas as temporadas de 1955/1956 a 1959/1960).[17] O primeiro foi a Pequena Taça do Mundo de 1956, conquistada pelo Real Madrid, porém o Real foi convidado a este torneio antes de sagrar-se campeão europeu.[18] O outro foi o Torneio Internacional de Paris de 1957[19], que acabou sendo assim o primeiro torneio intercontinental (com times de mais de um continente) do qual o Real Madrid aceitou participar após se tornar campeão europeu (temporada 1955/1956) em 13/06/1956, tendo aceitado participar deste torneio poucos dias antes de sagrar-se bicampeão europeu 1955/1956-1956/1957.[17][20] O Real Madrid só não participou da edição de 1958 do Torneio de Paris porque se preparava para a final da Copa dos Campeões da Europa daquele ano, que seria cinco dias depois;[21] em outubro de 1958, foi anunciada a criação da Copa Intercontinental.

Única derrota de um clube campeão europeu para um clube não-europeu antes da criação daCopa Intercontinental

Na final do torneio, o Real Madrid foi vencido pelo Vasco da Gama, um clube brasileiro e sul-americano, partida que acabaria sendo a única derrota do Real Madrid para rival não-europeu em todo este período, desde que se tornou campeão europeu em 13/06/1956 até a realização da 1ª edição da Copa Intercontinental em 03/07/1960, período em que o Real Madrid foi campeão europeu.[17]

Alegações quanto a possível influência para a criação da Copa Intercontinental

A derrota do Real Madrid para o Vasco da Gama teve impacto na imprensa européia, que registrou que a derrota do Real Madrid para o Vasco elevava o nome do futebol brasileiro na Europa[22], mostrava que "o Real Madrid não era invencível",[13] que "com brasileiros em campo, nada mais existia, nem mesmo o Real Madrid",[23] que "o Real Madrid, campeão da Europa, o qual não há dúvida estava cansado pela temporada pesada que tivera de fazer, mas que, de qualquer maneira, estava inferior à equipe do Vasco da Gama",[24] e que o Vasco, "representante sul-americano"[24] naquele torneio, era uma prova de que o futuro do futebol não era a Europa mas sim a América do Sul.[24][25][21][26]

A primeira menção a um encontro intercontinental entre uma equipe representativa da Europa e outra da América ocorreu em março de 1957, porém dizia respeito a seleções, não clubes: seria uma partida entre uma seleção europeia e outra americana (esta, composta de jogadores de seleções sul-americanas), que seria realizada no Estádio Santiago Bernabeu em 1958, organizada pela UEFA antes da Copa do Mundo de 1958.[27][28] No que diz respeito a confrontos entre clubes, em 15 de fevereiro de 1958 a imprensa espanhola dava como certa a criação de um torneio sul-americano de clubes, semelhante ao existente na Europa,[29] e em 08 de outubro de 1958, foi anunciada, porJoão Havelange como convidado em reunião da UEFA, a criação das Copas Libertadores e Intercontinental, esta última sendo uma confrontação entre os campeões europeu e sul-americano,[30] , em jogos de ida-e-volta (um jogo em cada um dos países dos clubes envolvidos, e um jogo-desempate, se necessário), tendo as duas competições (Libertadores e Intercontinental) sido propostas em parte com o objetivo de permitir testar a invencibilidade do mesmo Real Madrid, campeão da Europa, contra o melhor clube da América do Sul, a ser definido na Copa Libertadores.[14] A matéria do jornal El Mundo Deportivo, de 09/10/1958, traz declarações do então presidente do Real Madrid, Santiago Bernabeu, de que o clube postulava continuar vencendo a Copa dos Campeões da Europa e poder jogar a final intercontinental contra o campeão sul-americano.[31]

# Segundo um dirigente do Vasco da Gama, no Torneio de Paris o clube mostrou ao mundo o que era o verdadeiro futebol brasileiro, o que viria a ser ratificado logo depois naCopa do Mundo de 1958.[32]

(...)

Primeiro torneio em que os clubes teriam atuado como representantes de seus continentes

Algumas fontes sustentam que Vasco da Gama e Flamengo participaram do Torneio de Paris de 1957 e 1958 como representantes do futebol sul-americano[25][21][37], o que, aliado à participação do campeão europeu Real Madrid na edição de 1957 (sendo que o Real Madrid só não participou da edição de 1958 do Torneio de Paris porque se preparava para a final da Copa dos Campeões da Europa daquele ano, que seria cinco dias depois)[21], faria do Torneio de Paris a primeira competição em que clubes teriam atuado como representantes dos seus respectivos continentes, antes mesmo da criação da Copa Intercontinental.

Fonte: [link]https://pt.wikipedia.org/wiki/Torneio_I ... is_de_1957[/link]

# Obs.: O Vasco cedeu os zagueiros Bellini (capitão) e Orlando, que atuaram os 6 jogos, e o atacante Vavá, que atuou em 4 jogos e fez 5 gols, inclusive os 2 primeiros na final contra a Suécia.

Fonte: [link]https://www.netvasco.com.br/mauroprais/ ... copas.html[/link]
Imagem

Avatar do usuário
GilsonVGPR
Júnior
Júnior
Mensagens: 1586
Registrado em: 31 Dez 2015, 12:13
Localização: Por esse mundão adentro.

Re: SUL-AMERICANO DE 1948 E TORNEIO PARIS DE 1957 – CONQUISTAS PRECURSORAS

Mensagem por GilsonVGPR » 14 Jun 2018, 09:11

HÁ 70 ANOS, VASCO SE TORNAVA O 1º CLUBE CAMPEÃO SUL-AMERICANO

Quarta-feira, 14/03/2018 - 03:15

Um dos maiores títulos da história do Club de Regatas Vasco da Gama completa 70 anos nesta 4ª-feira, 14 de março. Nesse dia, em 1948, o Gigante da Colina conquistou, de forma invicta, o I Campeonato Sul-Americano de Clubes, disputado no Chile. O jogo que deu o título ao Gigante da Colina foi um empate por 0 a 0 contra o River Plate

Em 2008, quando essa conquista histórica completou 60 anos, a NETVASCO publicou um Especial. Para acessá-lo, clique aqui.

Veja o documento segundo o qual a Conmebol reconheceu o título sul-americano do Vasco em 1948 clicando aqui.

Imagem

Fonte: NETVASCO (texto), Reprodução Internet (foto)
Link: http://www.netvasco.com.br/n/208137/ha- ... -americano
Imagem

Avatar do usuário
GilsonVGPR
Júnior
Júnior
Mensagens: 1586
Registrado em: 31 Dez 2015, 12:13
Localização: Por esse mundão adentro.

Re: SUL-AMERICANO DE 1948 E TORNEIO PARIS DE 1957 – CONQUISTAS PRECURSORAS

Mensagem por GilsonVGPR » 14 Jun 2018, 09:22

Há 61 anos, Vasco vencia o Real Madrid por 4 a 3 e se sagrava campeão do Torneio de Paris

Quinta-feira, 14/06/2018 - 04:56

ImagemO cenário, o Estádio Parque dos Príncipes, na capital francesa. O adversário, o Real Madrid, então bicampeão europeu 1955/1956 e 1956/1957, e já naquele tempo dono de um elenco milionário, com Puskas, Di Stéfano, Kopa, Gento e outros. Mas nada disso intimidou o Vasco que, em plena Cidade Luz, ofuscou as estrelas do adversário e fez brilhar o futebol brasileiro, antes mesmo da conquista da primeira Copa do Mundo, a de 1958, na Suécia. Ao fim do duelo, os vascaínos superaram o time merengue por 4 a 3 e ergueram o primeiro Troféu de Paris, a 14 de junho de 1957.

Disputado pela primeira vez há 60 anos, o troféu deveria ter tido sua edição inicial em 1956, para marcar os 50 anos do feito do brasileiro Santos Dumont, que havia sobrevoado a capital francesa a bordo de seu 14 Bis. Entretanto, a versão inaugural do torneio só iria ocorrer em 1957, reunindo também o Racing Paris, representando a cidade, e o Rot-Weiss Essen, campeão da Alemanha em 1955.

Como ainda não havia Campeonato Brasileiro nem Libertadores da América, o Vasco foi convidado porque havia sido o campeão do primeiro e único (até então) Sul-Americano de clubes, em 1948, no Chile, e como campeão carioca de 1956. Na primeira rodada, a 12 de junho, o Real Madrid arrasara o Rot Weiss Essen por 5 a 0; enquanto o time de São Januário eliminara os donos da casa: 3 a 1, gols de Livinho, Pinga e Vavá.

No dia 14, depois dos 7 a 5 do anfitrião Racing sobre o visitante Rot Weiss Essen, os cerca de 40 mil torcedores presentes ao Parque dos Príncipes assistiram a um espetáculo emocionante e cheio de alternativas, digno do confronto entre "o melhor time da Europa" e o "melhor da América do Sul", como os jornais o anunciaram na época.

Com força máxima, a equipe madridista abriu o placar aos 4 minutos, com Di Stéfano, que curiosamente, se defrontara com o Vasco atuando pelo River Plate da Argentina, na final do Sul-Americano de 1948. Era uma competição por pontos corridos, e os vascaínos ergueram a taça, graças ao empate sem gols.

Ainda no primeiro tempo, o Vasco igualou o marcador com Valter Marciano, aos 20, e virou aos 32 com Vavá - que em 1958 se tornaria o Leão da Copa na Suécia. Após o intervalo, aos 8 minutos, Mateos empatou. A partida seguiu equilibrada até Livinho fazer Vasco 3 a 2, aos 21 da segunda etapa. A vitória e o título foram praticamente assegurados aos 39, com outro gol de Valter Marciano - que acabaria posteriormente indo jogar no futebol espanhol. O francês Kopa diminuiu a um minuto do fim, mas a taça já estava endereçada ao Rio. E a decisão teve direito a confusão generalizada entre os times no segundo tempo.

Naquele distante junho de 1957, o lateral Paulinho e o zagueiro Bellini desfalcaram a equipe carioca, pois estavam com a seleção na Copa Roca, contra a Argentina. Orlando Peçanha era o único titular da zaga. Na mesma excursão à Europa, a 16 do mesmo mês, a equipe iria conquistar outro importante troféu internacional, o Teresa Herrera, em La Coruña, com 4 a 2 sobre o Athletic Bilbao, da Espanha, com dois gols de Vavá e dois de Valter.

À época, o jornal francês "L'Équipe", destacou: "E então, bruscamente o Real desapareceu literalmente. Seriam as camisas de um vermelho pálido ou os calções de um azul triste que enfraqueciam a soberba equipe espanhola? Não. É que, antes, apareceram subitamente do outro lado os corpos maravilhosos, apertados nas camisas brancas com a faixa preta, de 11 atletas de futebol, de 11 diabos negros que tomaram conta da bola e não a largaram mais. Durante a meia hora seguinte a impressão incrível, prodigiosa, que se teve é que o grande Real Madrid campeão da Europa, o intocável Real vencedor de todas as constelações européias estava aprendendo a jogar futebol". (...)"

A edição inaugural do Torneio de Paris foi considerada uma precursora das futuras Copas Intercontinentais e Mundiais de Clubes. Apesar do torneio ter sido organizado como amistoso, ao menos um veículo da imprensa brasileira da época, o "Jornal dos Sports", chegou a citá-lo uma vez como a conquista de um título mundial de clubes pelo Vasco. De qualquer forma, aquela havia sido a primeira ocasião em que o Real Madrid havia sido derrotado por uma equipe não-europeia, depois de ter sido bicampeão continental.

Aquele resultado causou um impacto perante a imprensa europeia, levando-a a afirmar que a vitória vascaína elevava o nome do futebol brasileiro, demonstrava que o time madridista não era invencível e que com "com brasileiros em campo, nada mais existia, nem mesmo o Real Madrid". Por mais que o Real pudesse se sentir cansado ao fim da temporada europeia, o futuro do futebol não era a Europa, mas sim a América do Sul. Sábia previsão, já que a seleção brasileira ganharia as Copas de 1958, 1962 e 1970.

O torneio na capital francesa motivou a criação da Copa Intercontinental, anunciada em 1958 pelo brasileiro João Havelange como convidado em reunião da UEFA e disputada a partir de 1960.

Vasco 4 x 3 Real Madrid

Real Madrid: J. Alonso; Torres, Marquitos (Santamaría), Lesmes; Muñoz e A. Ruiz; Kopa, Mateos, Di Stéfano, Rial (Marsal) e Gento.

Vasco: Carlos Alberto; Dario, Viana, Orlando e Ortunho; Laerte e Valter; Sabará, Livinho, Vavá e Pinga.



Fonte: Blog Memória EC - GloboEsporte.com
Link: http://www.netvasco.com.br/n/213504/ha- ... o-de-paris
Imagem

Responder

Voltar para “Novos Tópicos - Crie seu tópico aqui”